Avançar para o conteúdo principal

Cidadania e antibióticos - Manter a eficácia dos antibióticos é uma responsabilidade de todos!

A problemática das resistências aos antimicrobianos e do uso dos mesmos, constitui-se hoje um importante problema de saúde pública.

Questões muito pertinentes se levantam no que diz respeito aos valores subjacentes à sua utilização, isto porque a sua incorreta utilização tem implicações graves!
 
O uso responsável de antibióticos pode ajudar a evitar o desenvolvimento de bactérias resistentes e a preservar a eficácia dos antibióticos para as gerações futuras.
Manter a eficácia dos antibióticos é uma responsabilidade de todos!
Os antibióticos estão a perder eficácia a um ritmo que era imprevisível até mesmo há cinco anos. Isto deve-se ao facto de a utilização de antibióticos ter resultado no desenvolvimento de resistência aos tratamentos por antibióticos pela parte das bactérias.
 
Caso continuemos a consumir antibióticos como até agora, a Europa poderá regressar à era pré-antibióticos, em que uma infecção bacteriana comum, como uma pneumonia, podia ser uma sentença de morte. Deste modo, quando se necessitar de antibióticos no futuro, estes poderão já não funcionar.
 
Todas as pessoas podem desempenhar um papel importante na redução da resistência aos antibióticos:
• Os doentes:
1. Sempre que possível, prevenindo as infecções, cumprindo o programa nacional de vacinação.
2. Lavando as suas mãos, e as mãos dos seus filhos, com regularidade – por exemplo, depois de espirrar ou tossir e antes de tocar em objectos ou em pessoas.
3. Usando antibióticos apenas mediante receita médica; não tomando “sobras” nem antibióticos obtidos sem receita médica.
 
4. Respeitando as recomendações do médico ao tomar antibióticos.
5. Perguntando ao farmacêutico/enfermeiro qual a forma apropriada de eliminar os medicamentos não consumidos.
 
Os médicos e os farmacêuticos, entre outros profissionais de saúde:
6. Prescrevendo antibióticos apenas quando são necessários, em conformidade com as orientações baseadas em factos científicos. Quando possível, prescrever um antibiótico específico para a infecção e não de “largo espectro”.
7. Explicando aos doentes como aliviar os sintomas de constipações e de gripe, sem utilizar antibióticos, que são ineficazes nestas situações.
8. Informando os doentes sobre a importância de cumprir o tratamento com antibióticos tal como o indicado pelo médico.
Sugiro a leitura do documento "os dez mandamentos para o uso dos antibióticos"
 
Fonte:http://www.ecdc.europa.eu/pt/eaad/Pages/antibiotics-self-medication-key-messages-general-public.aspx

Mensagens populares deste blogue

A importância da multiplicação e divisão na Matemática

Não tanto devido à minha formação em gerontologia social, mas porque o trabalho destes colegas merece ser partilhado pelo mérito e excelência no papel que têm tido no quebrar de preconceitos e diminuição de tabus em relação aos mais velhos de nós, aqui vai foto editada por #portugueselily com muito muito orgulho! Parabéns pela extraordinária capacidade na inclusão de quem infelizmente,  pela sua natural  vulnerabilidade...é excluido.

Nascer Cidadão

Nascer Cidadão O projecto "Nascer Cidadão" permite registar os recém-nascidos imediatamente no próprio hospital ou maternidade logo após o nascimento perante funcionário do registo civil que para este efeito se desloca às unidades de saúde.

Sendo o nascimento declarado no hospital no posto de atendimento do nascer cidadão, não é necessária qualquer deslocação à conservatória do registo civil.

Para o registo de nascimento das crianças é necessário:
Escolher o nomeO nome é formado no máximo por dois nomes próprios e quatro apelidos.
- Os apelidos são os nomes de família.
- Sendo a criança estrangeira o seu nome será composto de acordo com a lei da sua nacionalidade. Escolher a naturalidadeFreguesia e concelho da maternidade, ouFreguesia e concelho da residência habitual da mãe.Apresentar os documentos de identificação dos pais sempre que possível.Após o registo de nascimento é entregue documento comprovativo do mesmo.O registo é gratuito. Fonte: http://www.irn.mj.pt/IRN/sections/ir…