Avançar para o conteúdo principal

Nascer Cidadão

Nascer Cidadão

nascercidadao.jpg
 
 
O projecto "Nascer Cidadão" permite registar os recém-nascidos imediatamente no próprio hospital ou maternidade logo após o nascimento perante funcionário do registo civil que para este efeito se desloca às unidades de saúde.

Sendo o nascimento declarado no hospital no posto de atendimento do nascer cidadão, não é necessária qualquer deslocação à conservatória do registo civil.

Para o
registo de nascimento das crianças é necessário:
  • Escolher o nome
    • O nome é formado no máximo por dois nomes próprios e quatro apelidos.
      - Os apelidos são os nomes de família.
      - Sendo a criança estrangeira o seu nome será composto de acordo com a lei da sua nacionalidade.
  • Escolher a naturalidade
    • Freguesia e concelho da maternidade, ou
    • Freguesia e concelho da residência habitual da mãe.
  • Apresentar os documentos de identificação dos pais sempre que possível.
  • Após o registo de nascimento é entregue documento comprovativo do mesmo.
  • O registo é gratuito.
Fonte: http://www.irn.mj.pt/IRN/sections/irn/a_registral/registo-civil/docs-do-civil/nascer-cidadao/

Mensagens populares deste blogue

Volta do Ano Europeu do Cidadão no Alentejo Central e Litoral

Open Day da Cidadania no Alentejo Central e Litoral

"Volta do Ano Europeu do Cidadão"


É já no dia 3 dezembro de 2013 na Universidade de Évora
 Veja mais em http://www.google.pt/url?sa=t&rct=j&q=&esrc=s&frm=1&source=web&cd=36&ved=0CFUQFjAFOB4&url=http%3A%2F%2Fsiiue.uevora.pt%2Ffiles%2Fanexo_informacao%2F89550&ei=bpaSUqCTBoay7Aa5g4GQDg&usg=AFQjCNGXhoWhWFu3U20LmllNoeiO9Mramg&sig2=kNCS_2JSrmcQbVDiSiy29Q

A importância da multiplicação e divisão na Matemática

Não tanto devido à minha formação em gerontologia social, mas porque o trabalho destes colegas merece ser partilhado pelo mérito e excelência no papel que têm tido no quebrar de preconceitos e diminuição de tabus em relação aos mais velhos de nós, aqui vai foto editada por #portugueselily com muito muito orgulho! Parabéns pela extraordinária capacidade na inclusão de quem infelizmente,  pela sua natural  vulnerabilidade...é excluido.